24 junho 2007

Arquivistas lutam pelo reconhecimento da profissão


"Desde que o homem passou a registrar seus feitos, houve a necessidade de que alguém organizasse a coleta, armazenamento e conservação desses registros; a função de arquivista, pois, remonta a esses tempos.

Atualmente, em meio a toda tecnologia de armazenamento e troca de informações proporcionada pelo advento da informática, cresceu a necessidade desse profissional que, em última instância, objetiva propiciar a recuperação, no menor tempo possível, de uma informação armazenada em qualquer que seja o seu suporte.

Hoje as empresas e instituições trabalham com um volume muito grande de informações, o que está gerando mais mercado para os arquivistas, pois cada vez mais é preciso organizar tudo para agilizar o trabalho (...).
O arquivista é um profissional de nível superior (...) que tem como atribuições tudo o que se refira ao planejamento, organização e direção de arquivos, documentos e informações de empresas e instituições; além de avaliar e selecionar documentos para fins de preservação e planejar a automação aplicada aos arquivos.

Entre as vantagens obtidas com a contratação de um arquivista por uma empresa ou instituição estão a otimização da rotina de trabalho; melhor aproveitamento do tempo do funcionário; redução de custos com impressão, cópias, material e espaço físico do arquivo; maior eficiência em virtude da rapidez e segurança na obtenção de informações solicitadas e preservação da história da empresa ou instituição.

A profissão ainda não está largamente disseminada em virtude, principalmente, do desconhecimento, por parte das empresas, das qualificações do profissional e das vantagens da implantação de um sistema de arquivos na empresa. No caso de sistematização e normatização do fluxo documental dentro de uma empresa, o trabalho desenvolvido pelo arquivista (como consultor ou funcionário) equivale ao trabalho realizado, por ex., por uma consultoria de qualidade total (...)."
Fonte: Acervo

Sem comentários: